quarta-feira, 26 de abril de 2017

D'Alessandro: Temos a obrigação de chegar na final.



Texto e Foto: Eduardo Desconto
Fonte: globoesporte.com

Entra ano, sai ano e lá está D'Alessandro, envolto em comemorações efusivas ao conquistar o Gauchão. Salvo o 2016 em que deixou o Inter ainda no começo do ano, o gringo, ídolo máximo da torcida, é figura emblemática do hexa estadual colorado e dono de seis taças do Campeonato Gaúcho. Não à toa, mantém as ambições elevadas para buscar o hepta em uma edição "mais valorizada" da competição em 2017, diante dos dois duelos com o Novo Hamburgo, na grande final, com o jogo de ida no domingo, às 16h, Beira Rio.v

Designado para conceder entrevista coletiva nesta quarta-feira, gringo deu suas Respostas em meio a clima de descontração pura, com direito a risadas e sorrisos entre as perguntas. E foi direto ao ponto ao falar de seu desejo em conquistar seu sétimo título estadual, para "mandar em casa". Ou talvez o oitavo: entre risos, o argentino "cobrou" para colocar a taça do ano passado em seu currículo, ainda que tenha atuado em apenas uma partida na competição.

– A gente é muito cobrado se não conseguir chegar à final. Temos obrigação de chegar à final. O Inter tem obrigação de ganhar todas as competições que joga. Às vezes, não acontece. É importantíssimo chegar à final após um ano mais conturbado. Chegar a mais uma final, sete seguidas, com a possibilidade de ganhar o sétimo, o hepta. Acho que soma bem na história do clube. Temos que respeitar muito o Novo Hamburgo. É o time de melhor campanha, fez bons jogos. Vem de ganhar um jogo difícil. Jogou de igual para igual com o Grêmio. Se a gente não entrar ligado, a gente pode passar mal – afirma o camisa 10.


"Expert" na competição, o gringo garante ainda que o Gauchão de 2017 é o "mais valorizado" dos últimos anos. E não apenas pela postura do maior rival, Grêmio, que decidiu preservar titulares na Libertadores para disputar a semifinal com força total. D'Ale elogia bastante o planejamento e a preparação tanto do Caxias quanto do rival na final, o Novo Hamburgo.


– Gostem ou não, é uma final. Nós estamos na final. Como sempre, quem perde não valoriza como tem que ser valorizado. Esse Campeonato Gaúcho foi o mais valorizado. Foi muito valorizado. A gente dá mais valor ainda. Existe essa ansiedade. Em especial, porque o Inter não se classificou muito bem. Nós tivemos alguns resultados ruins, tivemos que buscar resultados fora. Classificamos em sétimo. A partir daí, começa o mata-mata. Tivemos quartas de final em que jogamos bem os dois jogos. Uma semifinal muito difícil, onde fizemos por merecer em casa. O placar foi curto. A gente foi a Caxias em uma guerra. Caxias é bem estruturado. É um time bem trabalhado pelo Winck. Foi uma decisão muito boa, bonito de ver. Estamos em uma final com um time que mereceu chegar e que possivelmente merece ser campeão, como a gente – avalia o argentino.


O elenco colorado volta aos trabalhos nesta quinta-feira pela manhã, no CT do Parque Gigante, para dar sequência aos preparativos para o jogo de ida da final do Gauchão. Inter e Novo Hamburgo travam o primeiro duelo da grande decisão neste domingo, às 16h, no Beira-Rio. O confronto de volta está marcado para 7 de maio, ainda com local a definir

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.